quarta-feira, 27 de junho de 2007

Adeus Amigo HAHAHA

Quanta tristeza
Reunimos hoje aqui
em torno desta mesa
De nosso velho amigo

Um fim notável
Um verdadeiro guerreiro
Decapitado
Pelo paralama de um caminhoneiro

Não merecia morrer logo hoje
Quando seria promovido
Justo agora, pasmem
Quando nasceu seu filho

Mas é sempre assim que termina
Um corpo jogado numa cova
Uma luz tênue como um farol baixo
A vontade de rir, de ir e ir...

Os papéis ficaram no escritório
O seu chefe assustado
O celular no carro
E seu corpo com o funerário

Mas quem ficou feliz
não nega
A morte conveniente
Para seu íntimo colega!

Um comentário:

isabella vieira disse...

Vão-se os dedos, ficam os anéis...
Ficam os segredos, vão-se os fiéis...