quarta-feira, 27 de junho de 2007

CIÚME FATAL

Mesmo depois de morto
Ainda não acabou minha tortura
Pois quando mal cheguei a sepultura
Minha viúva casou-se com outro

Mas eu não hei de aceitar isto
Me levantarei desta tumba
Mesmo zumbi, eu jamais desisto
Acreditem eu me vingarei

A buscarei em cada rua
Seguirei cada passo
Invadirei se preciso seu quarto
Para liquidar com aquela vadia

Quando eu encontrá-la
Eu a levarei comigo
Para dormir viva
Enclausurada no meu jazigo!

Um comentário:

Diego disse...

ja tinha lido esse poema cara só não tinha comentado. muito legal, lembra augusto dos anjos (que moral rapá!).
valeu pela visita lá. só não entendi o passional. odeio textos passionais
hehehe
HASTA!