terça-feira, 3 de julho de 2007

Morte do Comediante

Curta carreira a do comediante
Tão poucos risos, tão pouca ironia
Já não se enlaça mais nas amantes
Já não engana mais a Maria

No microfone sobre o tablado
Em um bar de segunda no porto
Caiu teso o herói malfadado
Em desgraça caiu absorto

Essa piada fora a mais divertida
Encantando o estivador no refúgio
Não estivesse a morte ali travestida
Mais encantos permitiría-se o marujo

Mas a fatalidade resolveu entrar no clima
Com um derrame protagonista da história
Encerrou, infame, aquela risonha memória
Fazendo rir os anjos lá em cima

2 comentários:

Henrique disse...

Meu nome é Henrique Menezes e sou bolsista de iniciação científica do professor de Comunicação da UFRGS Alex Primo.

Estamos realizando uma pesquisa sobre blogs. Nesta quinta (dia 5 de julho) estaremos conduzindo uma entrevista em grupo com blogueiros de Porto Alegre, às 19h, na Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da UFRGS. Você teria condições de participar?

Sua colaboração seria muito importante para a compreensão desse fenômeno da cibercultura que é a interação em blogs.

Por favor, entre em contato através do e-mail de nosso laboratório de pesquisa: limc arroba ufrgs ponto br

D.C. disse...

Belo texto! Gostei das "opções de Poa", também!